Neoplasia Prostática Clinicamente Significante – Avaliação Pi-Rads 4

Neoplasia Prostática Clinicamente Significante Pi-Rads 4

A classificação do sistema PI-RADS (Prostate Imaging Reporting and Data System) foi desenvolvida em 2016 pelo Grupo de Trabalho Internacional de Ressonância Magnética da Próstata, com sua última versão publicada em 2019.

Parâmetros da escala

O escore de Gleason deve ser igual ou maior que 7, o que inclui casos com um componente Gleason 4 proeminente, mas não predominante. Além disso, o volume do tumor deve ser superior a 0,5 mL e também é necessário verificar se há extensão além da próstata.

Interpretação PI-RADS v2.1: Avaliação de Neoplasia Prostática Clinicamente Significante

O sistema PI-RADS categoriza as lesões da próstata com base na probabilidade de câncer de acordo com uma escala de cinco pontos:

O PI-RADS 1 indica um risco muito baixo de câncer clinicamente significativo. Isso significa que é altamente improvável a presença desse tipo de câncer.

PI-RADS 2 – Baixo – Não é provável que exista câncer clinicamente relevante presente.

PI-RADS 3 – Intermediário – A detecção de câncer clinicamente relevante é incerta.

A classificação PI-RADS 4 indica um nível alto de probabilidade de presença de câncer clinicamente significativo.

O PI-RADS 5 indica um nível muito alto de probabilidade de câncer clinicamente significativo.

Neoplasia Prostática Clinicamente Significante na Zona de Transição

Uma zona de transição com aparência normal ou um nódulo completamente encapsulado e arredondado é observado.

Um nódulo pode ser descrito como um pequeno agrupamento de células que geralmente é envolvido por uma cápsula ou apresenta uma área circunscrita sem encapsulamento. Também pode se manifestar como uma região com densidade ligeiramente mais baixa entre os nódulos.

A intensidade do sinal pode variar de forma heterogênea, apresentando margens obscuras. Além dos valores 2, 4 e 5, existem outros números que não se qualificam nessa classificação.

You might be interested:  Imagens De Centro Clinico Andrade Neves 1

Um nódulo lenticular ou não circunscrito é caracterizado por ser homogêneo, moderadamente hipodenso e ter menos de 1,5 cm em sua maior dimensão.

A pontuação 5 é equivalente à categoria 4, porém com uma dimensão maior ou extensão extra prostática de pelo menos 1,5 cm. Isso indica um comportamento invasivo definitivo.

Zona periférica: Neoplasia Prostática Clinicamente Significante Pi-Rads 4

1 = sinal forte e constante, ou seja, dentro da normalidade.

A hipodensidade linear ou leve difusa, frequentemente com margem indistinta, é uma característica observada no exame.

A intensidade de sinal 3 é caracterizada por uma distribuição heterogênea ou não circunscrita, com um aspecto arredondado e moderadamente hipodenso. Essa classificação engloba casos que não se enquadram nas categorias 2, 4 ou 5.

4 = envolvido, uniforme, com densidade moderadamente baixa e tamanho máximo inferior a 1,5 cm.

O valor 5 é equivalente a 4, porém com uma dimensão maior ou extensão extra prostática/comportamento invasivo definitivo de pelo menos 1,5 cm. Este critério define um estágio mais avançado da condição em questão.

A pontuação DWI é uma medida que compara a intensidade do sinal na lesão com a média do sinal do tecido prostático normal em outras áreas da mesma zona histológica.

Neoplasia Prostática Clinicamente Significante com Pontuação Pi-Rads 4: Zona de transição ou zona periférica

O coeficiente de difusão aparente (ADC) não apresenta nenhuma anormalidade.

A presença de hipodensidade linear ou cuneiforme no ADC e/ou hiperdensidade de alto valor no DWI é observada quando se analisa determinado aspecto relacionado à palavra-chave.

A presença de uma hipodensidade discreta e moderada no ADC e/ou hiperdensidade discreta e moderada no DWI com alto valor b é indicativa de um achado significativo. É possível observar uma marcada hipodensidade apenas no ADC ou uma marcada hiperdensidade apenas no DWI com alto valor b, mas não ambos simultaneamente.

O achado radiológico de hipodensidade e hiperdensidade marcada em um ponto específico no DWI, com tamanho inferior a 1,5 cm na maior dimensão.

O ponto 5 refere-se a uma descrição semelhante ao ponto 4, porém com uma dimensão maior de pelo menos 1,5 cm ou mais. Além disso, também pode incluir extensão extraprostática ou invasão definitiva.

Dinâmica de contraste no realce (DCR) em Neoplasia Prostática Clinicamente Significante Pi-Rads 4

Sem evidência precoce de realce, ou realce difuso em múltiplas áreas que não corresponde a uma lesão focal no exame de ressonância magnética ponderada em T2 e/ou DWI, ou realce focal que corresponda a uma lesão com características de hiperplasia prostática benigna no exame de ressonância magnética ponderada em T2 (incluindo características semelhantes a um nódulo de hiperplasia prostática benigna na zona periférica).

You might be interested:  Clínica familiar Arthur Bispo do Rosário
Neoplasia Prostática Clinicamente Significante com Classificação Pi-Rads 4

O PI-RADS v2.1 não oferece orientações sobre como lidar com os resultados, uma vez que essas decisões são influenciadas por diversos fatores adicionais, incluindo o antígeno específico da próstata (PSA), histórico médico do paciente, experiência local e preferências pessoais do indivíduo.

No entanto, pesquisas sobre o desempenho diagnóstico da ressonância magnética (RM) na detecção de câncer de próstata consideram as lesões com pontuação PI-RADS > 3 como indicativas de um tumor clinicamente significativo. No entanto, ainda há controvérsias na literatura sobre se todas as lesões classificadas como PI-RADS 3 necessitam de biópsia. Diferentes estudos relataram uma variação entre 12% e 33% dos casos em que homens com lesões PI-RADS 3 apresentavam cânceres de próstata clinicamente relevantes.

De maneira geral, é recomendado considerar a realização de biópsia para lesões classificadas como PI-RADS 4 ou 5, mas não para aquelas classificadas como PI-RADS 1 ou 2. Não há um consenso estabelecido sobre a abordagem das lesões classificadas como PI-RADS 3. Algumas literaturas sugerem opções como biópsia direcionada, observação ou a realização de exames adicionais, como o PSA.

Neoplasia Prostática Clinicamente Significante com Classificação Pi-Rads 4

Sou uma profissional formada em Medicina pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, com especialização em Estatística pela Universidade Salvador. Além disso, tenho conhecimentos na área de pesquisa clínica adquiridos na Harvard T.H. Chan School of Public Health. Minhas áreas de interesse incluem medicina intensiva, cuidados paliativos, bioestatística e metodologia científica.

Significado clínico da neoplasia prostática

Neoplasia prostática clinicamente significante é definida pela histologia como:

1. Escore de Gleason ≥ 7, incluindo casos com escore 3+4 e componente proeminente, mas não predominante, de Gleason 4.

2. Volume da lesão igual ou superior a 0.5 mL.

3. Extensão extraprostática da neoplasia.

Esses critérios são utilizados para determinar se uma neoplasia prostática é considerada clinicamente significante ou não.

Significado do câncer de próstata em estágio 4

Estágio IV: Nesse estágio, o tumor já se disseminou para as áreas próximas, como linfonodos, ou para órgãos distantes, como os ossos. A maioria deles não é mais curável, mas podem ser tratados. O objetivo aqui é manter a doença sob controle durante o maior tempo possível, melhorando a qualidade de vida do paciente.

Tratamentos possíveis para pacientes com Neoplasia Prostática Clinicamente Significante Pi-Rads 4 no Estágio IV incluem:

You might be interested:  Clínica Odontológica em Campo Grande - MS: Sorriso em Boas Mãos!

1. Terapia hormonal: Utilizada para reduzir os níveis de testosterona e diminuir o crescimento das células cancerígenas da próstata.

2. Quimioterapia: Pode ser usada em casos avançados para controlar o crescimento tumoral e aliviar sintomas.

3. Radioterapia externa: Utilizada principalmente para aliviar dor óssea causada por metástases nos ossos.

4. Cirurgia paliativa: Em alguns casos específicos pode ser realizada cirurgia com intuito de aliviar sintomas ou prevenir complicações.

6. Tratamento focalizado: Pode ser considerado em casos selecionados onde apenas uma área específica da próstata apresenta câncer clinicamente significativo.

7. Cuidados paliativos e suporte psicológico: Importante na melhoria da qualidade de vida do paciente e no controle dos sintomas associados à doença avançada.

8. Monitoramento ativo (watchful waiting): Em alguns casos, quando o paciente é idoso ou possui comorbidades significativas, pode-se optar por apenas monitorar a progressão da doença sem intervenção ativa.

9. Participação em ensaios clínicos: Pacientes podem ser elegíveis para participar de estudos que investigam novas terapias e abordagens no tratamento do câncer de próstata avançado.

10. Suporte multidisciplinar: Uma equipe médica especializada, incluindo oncologistas, radioterapeutas e urologistas, trabalha em conjunto para fornecer o melhor cuidado possível ao paciente.

Quando ocorre o diagnóstico de câncer de próstata?

Para confirmar se um indivíduo possui câncer de próstata, é necessário realizar uma biópsia. Nesse procedimento, são retirados pequenos fragmentos da próstata para serem analisados em laboratório. A indicação da biópsia ocorre quando há alguma alteração nos resultados do exame de PSA (antígeno prostático específico) ou no toque retal.

O câncer de próstata mais grave

O grau de risco ou agressividade do câncer é determinado com base na Pontuação Gleason:

1. Pontuação Gleason 6 ou 7: indica um câncer de risco baixo ou intermediário.

2. Pontuações Gleason entre 8 e 10: indicam um câncer de alto risco.

Número de estágios do câncer de próstata

O câncer de próstata é classificado em diferentes estágios, que variam de 1 a 4. Cada estágio pode ser subdividido com letras (A, B, etc). Geralmente, o estágio 4 indica que a doença se espalhou para outras partes do corpo. Dentro de um mesmo estágio, uma letra anterior indica um estágio menos avançado.

É importante destacar que essa informação não deve substituir uma consulta médica especializada. Apenas um profissional qualificado poderá realizar o diagnóstico correto e indicar o tratamento adequado para cada caso individualmente.